Sem Papas Na Língua

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Não deixe o "se" atrapalhar sua vida!



Uma vez, estava num elevador aparentemente cheio. Houveram duas paradas: quando as portas se abriram uma moça que estava do lado de fora se questionou "- Acho que não caberá mais gente." E não entrou. Na outra parada, uma outra moça simplesmente entrou. Uma amiga psicologa que estava comigo disse: A vida é feita de decisões, cabe a você agir ou ficar apenas idealizando. Guardei isso até hoje.  


Quantas vezes já deixamos de fazer algo por pensar no que poderia acontecer? Temos medo do resultado ou medo de não dar certo? Quantas vezes nos arrependemos de ter feito alguma coisa? ("SE" eu não tivesse ido... "SE" ela tivesse chegado antes..."SE" eu me machucar? "SE" doer?) Por nos questionarmos o tempo todo, atrás de justificativas para fazer ou deixar de fazer algo, não iremos à lugar algum.

O medo pode ser um dos obstáculos para que não consigamos realizar o que desejamos. O medo nos afasta da felicidade e do perigo. Mas até que ponto o medo nos favorece ou nos atrapalha? Não há um medidor especifico para saber isso, mas penso que se não arriscarmos, nunca iremos saber o que pode acontecer.

Temos que nos permitir mais ao novo! Cada escolha uma renúncia! Já dizia a autora Martha Medeiros: "Quando fazemos uma escolha, qualquer escolha, estamos dizendo sim para um lado e dizendo não para o outro. Então, algum sofrimento sempre vai haver." Não se pode ter tudo ao mesmo tempo.

Nos arrependemos do que não fizemos, usamos o "se" em frases de arrependimento, quando na verdade tudo tem um propósito, um porquê. 

Já me ocorreu deu deixar de ir em certos lugares e descobrir que foi sorte não ter ido, pessoas que perdem quem amam, às vezes costumam dizer: "Mas se tivesse procurado o médico antes... Se não tivesse saído de casa aquele dia..." Há coisas que ocorrem e não possuem um porquê mesmo. Cada um de nós ganhou uma vida para ser vivida, cada um com sua trajetória de vida.

Mas mesmo que pareça não temos controle sobre ela (ainda bem!). Muitas coisas não dependem só de nós, ao mesmo tempo que muita coisa dependem. Dar o primeiro passo, arriscar pra ver no que vai dar, tem que partir de uma iniciativa sua.

Quanto tempo de vida lhe resta? Não é possível saber essa informação. Só se sabe que o presente é uma dadiva. Há que se saber aproveitar as oportunidades, realmente elas não voltam.

Ir ao não ir na festa? Mas se acabar tarde? Mas se não for legal? ÉS A QUESTÃO! Você só vai saber se for. Entra na chuva pra se molhar! Se não der certo ou não corresponder suas idealizações você ainda terá chance de começar de novo. Enquanto há vida, há esperanças! Idealize menos. As coisas são tão mais gostosas quando nos surpreendem.

A vida é muito curta pra viver com o "se", vai lá e faz! Se não for prejudicar ninguém, nem você mesmo... VAI! Tente ter ao máximo menos arrependimentos, tire os planos do papel.

Os dias não voltam, as pessoas não voltam, os momentos também não. Somos únicos, com histórias particulares, planejadas com carinho por Deus. Cada um veio a terra cumprir sua missão, uns acham que não as sabe, mas eu te digo... Seja a diferença na vida de alguém positivamente.

Ame muito! Até o último suspiro da sua vida ou de outra vida. Uma vida com amor é uma vida bem vivida. Só o amor é o que se leva dessa vida.




Por Daniella Lins

Nenhum comentário:

Postar um comentário