Sem Papas Na Língua

sábado, 13 de setembro de 2014

O conselho que você dá não é eficaz pra você.

Por que a gente consegue dar conselhos muito bons pra uma pessoa e quando passamos pela mesma situação a gente não segue o que falamos? Complicaaaaado. Muito mais fácil enxergar as coisas claras quando estamos de fora. Assim, como é bom ler um livro quando não somos obrigados a ler. (Estou escrevendo minha monografia e está tão chato ler... Ócios do oficio.) Pois bem, minhas amigas ou pessoas que converso na fila do supermercado, por exemplo, me contam situações que imediatamente eu tenho a solução na ponta da língua. Ai logo uma situação semelhante ocorre comigo, PRONTO! Não sei o que fazer, na verdade não consigo nem raciocinar. PARA! CALMA! PENSA! Coloca na balança, isso será bom pra mim? Vai me fazer feliz? Como diz na canção de Charlie Brown, "Cada escolha uma renúncia", e é verdade. 

Não a nada mais chato do que pensarmos que tomamos a decisão errada. Não existem regras quando se trata de ser feliz. Pronto! Já foi! Você já falou que gostava dele/dela, você puxou papo, você não foi a festa, você não viajou. Passou! A gente não volta no tempo. Faça o que der vontade, sem arrependimentos. O que aconteceu, teria de acontecer com você, era necessário. Aquilo que julgamos serem ruins, as vezes nos tornam mais fortes. Isso se você enxergar assim, sem se colocar no papel de vítima. Cito aqui as decepções. Uuuh inevitáveis. Elas estão por aí em cada esquina esperando uma vítima fatal. Na verdade elas ocorrem quando esperamos demais, imaginamos de mais desejamos demais. Tudo em excesso faz mal, bem sabemos. As decepções ocorrem quando menos esperamos, nos pegam de surpresa, nos deixam frágeis. Ai vem logo o pensamento: EU NUNCA MAIS VOU FAZER ISSO! Iiiih bobagem! Ninguém é igual a ninguém. Os acontecimentos e reações não são iguais. Mas isso não quer dizer que você não tire uma lição disso tudo, tem de haver, sempre tem. 

Devemos ser firmes, ter a visão clara, não insistir no não desejo do outro, tem de haver uma reciprocidade e acima de tudo, AMOR PRÓPRIO. Reconhecer que você não deve ser menosprezado por ninguém. Ninguém é melhor que ninguém. Você tem o poder de decisão nas mãos. Por mais que te deem conselhos, as consequências viram pra você. Viva sem medo de arriscar, quem sabe você não se surpreende? 

2 comentários: